Explorando os elos entre a cultura Romani e o campo da tradução

O site Translation Romani decidiu manter o uso da palavra Romani em todas as versões traduzidas para este website, inclusive para se referir tanto à língua quanto ao povo de todas as diversas comunidades étnicas ao redor do mundo, i.e. Roma, Sinti, Manuš, Calé, Romanichal, Kalé, e muitas outras. Por favor, leia as importantes notas de nossos tradutores para explicações e outras traduções atualmente em uso local, nacional e regional.

Fechar esta caixa
Translation Romani
Tradição Oral

O estudo acadêmico formal de tradições orais, e os “gêneros” e performances que ajudam a defini-los, começaram a florescer na segunda metade do século XX.

Estes estudos forma bastante influenciadas pelos trabalhos de Parry & Lord, Walter Ong, Ruth Finnegan e John Miles Foley, para citar apenas alguns. A pesquisa inicialmente realizada nos Balcãs levou a uma investigação mais aprofundada na tradição oral de narrar histórias na África, Austrália, América Latina, e entre vários grupos indígenas ao redor do mundo. Antes disso, a produção cultural tinha sido vista principalmente através de uma perspectiva de referência literária. E estava focada em obras canônicas e históricas produzidas por eruditos, em circunstâncias elitistas, onde a autoridade do texto escrito predominava, e onde a oralidade estava relegada ao status do folclórico e popular. Muitas culturas, no entanto, são mantidas através da cultura oral. Um rico repertório de narrativas, lendas, mitos, provérbios, poesia, canções e jogos transmitem diversos tipos de conhecimento social, inclusive a lei oral (códigos de conduta e comportamento) de geração a geração. Investigar as narrativas apresentadas por uma perspectiva de referência oral revela sistemas de estruturas verbais e modelos (mnemômica, formuladas, rítmica) únicos, aliados aos modelos de performances (auditivas, cinésicas, visuais, tátil, somática). Esses aspectos tornam cada evento da narrativa oral, tanto um ato de continuidade com o passado quanto um ato criativo e coletivo de uma performance coletiva no presente. O foco na tradição oral também levou a importantes desenvolvimentos nas narrativas orais na história. Historiadores orais estudam a história de vida de indivíduos e comunidades de povos em determinado tempo e local, nos termos dos contextos históricos que os produzem. Essas narrativas incluem relatos de testemunhas oculares e depoimentos. Existem entendimentos a serem adquiridos e desafios a serem superados na documentação da tradição oral e da história oral. Discursos devem ser transcritos, incluindo anotações de elipses, pausas e gestos. Da mesma maneira, a natureza não-linear, dinâmica e interativa dos eventos orais desafia a seqüencialidade e a noção de autoria individual, já que generosamente permite adaptações, inovações e versões alternativas que surgem entre o narrador e o público. Finalmente, as metodologias se esforçam para dar conta das subjetividades individuais e das relações de poder existentes entre pesquisador e pesquisado, que acabam por produzir diretrizes com implicações éticas e legais.

O vasto repertório de narrativas orais, lendas, contos e tradições em comunidades Romani tem sido documentado por folcloristas e pesquisadores não-Romani por mais de 150 anos. Certamente, as categorias e o enquadramento referencial aplicados às transcrições, análises e apresentações, podem às vezes ser "estrangeiros" às próprias obras culturais. Como a produção e o número de pesquisadores Romani continua a aumentar e como mais trabalhos são transcritos, traduzidos e estudados, o atual sistema de classificação pode ser revisto.

Não obstante, de acordo com Bakker & Kyuchukov (2000: 48-56), os dois gêneros mais formalizados dentro da comunidade Romani em geral são paramisa / paramiča ("contos") e gil`a / dija ("canções"), com possíveis sub-gêneros que incluem bare paramisa ("contos longos"), xarne ("narrativas curtas"), e vitezika paramisa ("contos sobre heróis"). Outros gêneros propostos são o divano ("narrativas para comentar e criticar situações sociais") nas comunidades Kalderaš, o god`aver ("provérbios" ou "palavras de sabedoria"), as garadino alav ("advinhações"), nas quais as versões dos jogos de linguagem sar pes phenel - s`oda hin? ("como você fala? O que isto significa?") são populares. Narrativas de famílias distantes são difundidas, como as narrativas mule ("espíritos dos mortos"), čohaňa ("bruxas") e sune ("sonhos"). As narrativas e lendas são notórias, claro, por atravessar limites e fronteiras. Neste sentido, as análises estatísticas realizadas pelo pesquisador Heinz Mode, de narrativas em Romani, indianas, persas e turcas, o inspirou a levantar a hipótese de que grupos Romani migrados para a Europa ajudaram a introduzir e circular no continente os temas e conceitos mais recentes das estórias indianas, que posteriormente alimentaram as tradições narrativas de muitos países. Dora Yates e Diane Tong são duas pesquisadoras muito conhecidas que registraram os paramicã Romani.

Referências:

Bakker, Peter and Kyuchukov, Hristo (eds), "Romani Folklore" in What is the Romani language? (Paris / Hertfordshire: Centre de recherches tsiganes / University of Hertfordshire Press, 2000).

Belišová, Jana (ed), Phurikane gil`a - Ancient Roma Songs (Bratislava: Zudro Association, 2005). Available online.

Bernal, Jorge (ed), Le Paramícha le Trayóske - Los cuentos de la vida. Selección de Cuentos Gitanos. Rromanés-Castellano (Buenos Aires: Comisión para la Preservación del Patrimonio, 2005). Available online.

de Gila, Vania (ed), La Prière des Loups. Récits tsiganes. Edition bilingue., "Tradition Orale" (Port-de-Buc: Éditions Wallâda, 2005)

ROMBASE, "Oral Literature", University of Graz, Austria. Available online

Rromane Garadune Lava - Roma Találós Kérdések - Rromani Riddles(Budapest: Romano Kher, 1999)

Sijerčić, Hedina (ed), Romani Folktales series. Bilingual. Gurbeti dialect. (Toronto: Magoria Books, 2009)

Sijerčić, Hedina (ed), Rromane Paramicha. Stories and Legends of the Gurbeti Roma. Bilingual. English and Gurbeti dialect. (Toronto: Magoria Books, 2009)

 


Translation Romani

Palavra em Romani ao acaso Other Romani Word
Mai lashi tiri ryat (Kalderash)
Sov lačho|Lačhi jrat (Gurbeti)
Lashi ratyi, te del o sunto, drago Del! (Lovari)
Lokhi ti rat (Xoraxane)
 Good night (EN)  Boa noite (PT)  Bonne nuit (FR)  Buenas noches. (ES)  Gute Nacht (DE)  Jó éjt (HU)  Buonanotte (IT)  Iyi geceler (TR)  Dobrou noc (CS)


Você quer traduzir esta página?
Você gostaria de traduzir este artigo para a sua língua? Por favor, envie sua tradução para translation@translationromani.net. Uma vez revisado, será publicado no site.